Aprenda a tomar decisões sobre o seu dinheiro.

Aprenda a tomar decisões sobre o seu dinheiro.

21 dicas para colocar sua vida financeira em ordem

 

O inícío do ano começa com muitas contas e impostos a pagar (IPTU/IPVA) e após o primeiro trimestre, abril é um bom mês para o consumidor atualizar sua vida financeira. É hora de rever algumas contas, cancelar serviços que não são mais usados e começar, finalmente, a reservar uma parte do salário para uma viagem ou para a aposentadoria. Fiz uma pesquisa para você e seguem 21 dicas que encontrei e que valem a pena conhecer:

1- Comece a anotar seus gastos
Se você ainda não tem o hábito de anotar seus gastos, esse é um bom momento para começar. “Anote todas as receitas e todas as despesas, fixas e variáveis, em um caderno ou uma planilha no computador”, sugere o gerente de comunicação do Idec (Instituto Brasileiro de Defesa do Consumidor), Carlos Thadeu de Oliveira. Para não perder o controle do cartão de crédito, confira os lançamentos futuros pela internet.

2- Prepare-se para gastos eventuais
Adquira o hábito de separar dinheiro para despesas extras, mas que podem desequilibrar o orçamento, como aquelas típicas do começo de ano (carnês de impostos e gastos com material e matrícula escolar) e os gastos com presentes de aniversário e outras datas comemorativas.

3- Planeje sua viagem de férias
Se você já sabe o mês em que vai sair de férias, por que não começar a procurar pacotes e passagens agora? Uma pesquisa feita pelo Nectar (Núcleo de Economia dos Transportes) do ITA (Instituto Tecnológico de Aeronáutica) mostrou que, para quem parte do Aeroporto de Cumbica, em Guarulhos (SP), a compra da passagem com 60 dias de antecedência pode representar um desconto de até 55% no preço.

4- Corte o limite do cheque especial
Muita gente costuma incorporar o valor do cheque especial ao do salário. Esse hábito leva facilmente ao descontrole financeiro, já que quem usa o limite do especial paga juros altos (8,36% ao mês, segundo a Anefac). A sugestão de Carlos Thadeu de Oliveira, do Idec, é que o limite seja cortado –de uma só vez ou aos poucos. Em caso de necessidade, é melhor optar por empréstimo pessoal dos bancos, que tem juros mais baixos (4,21% ao mês, em media).

5- Renegocie suas dívidas
Quem tem dívidas no cartão de crédito deve tentar uma renegociação com a operadora. “Os únicos juros que não têm caído são os do cartão”, diz o diretor do Comitê de Economia da Anefac, Roberto Vertamatti. Em dezembro, a taxa era de 10,69% ao mês, ou 238,30% ao ano. “Se a renegociação com a operadora não for possível, vale a pena fazer um empréstimo bancário, que tem juros mais baixos, e quitar o cartão, trocando uma dívida pela outra”, diz.

6- Cancele alguns dos seus cartões
Avalie se vale mesmo a pena ter vários cartões de crédito, que representam o pagamento de diferentes anuidades. Para o gerente de comunicação do Idec, Carlos Thadeu de Oliveira, ter mais de um cartão pode ser interessante se o consumidor recebe o salário em partes (um adiantamento no dia 15 e o resto no fim do mês, por exemplo), porque isso ajuda a distribuir as despesas. “Caso contrário, a possibilidade de perder o controle é grande”, afirma.

7- Reveja seu pacote de tarifas
Quem tem conta corrente paga de R$ 3,35 a R$ 55 mensais por pacotes de tarifas, dependendo dos serviços oferecidos, segundo dados da Febraban (Federação Brasileira de Bancos). Para quem movimenta pouco a conta, o cancelamento do pacote pode valer a pena. Isso porque as instituições são obrigadas a oferecer uma quantidade mínima de serviços gratuitamente (quatro saques, dois extratos e dez folhas de cheque por mês, por exemplo).

8- Faça um plano de previdência
Comece a se planejar para sua aposentadoria contratando um plano de previdência privada. “Dá para começar com pouco e ir ajustando o valor com o tempo”, diz o presidente do Sincor-SP (Sindicato dos Corretores de Seguro do Estado de São Paulo), Mário Sérgio de Almeida Santos. Se o plano for do tipo PGBL, permitirá a dedução de até 12% da renda bruta anual do contribuinte na declaração do IR.

9- Invista no futuro de seus filhos
“Poucos se preocupam com o amanhã”, diz Roberto Vertamatti, da Anefac. Mas esse é um erro que pode ser corrigido a qualquer tempo. “Abra uma poupança para seu filho, comece a colocar uma pequena quantidade de dinheiro por mês na conta, como R$ 10, R$ 20, e tente fazer disso uma prática comum”, sugere. “Isso resulta na conscientização das crianças e da família com relação ao dinheiro.”

10- Comece a investir parte do salário
Reserve uma parte de seu salário para um investimento. “Uma opção para quem nunca investiu são os títulos de renda fixa ou os títulos públicos do governo por meio do Tesouro Direto”, diz Roberto Vertamatti, da Anefac. A renda fixa também é a sugestão de Liao Yu Chieh, professor de economia do Insper Instituto de Ensino e Pesquisa. “Mesmo a poupança é sempre um bom começo, porque dá mais segurança.”

11- Reavalie seus investimentos
Nesse momento de crise, é interessante reavaliar seus investimentos. “É preciso pensar no longo prazo”, diz o professor de finanças Liao Yu Chieh, do Insper. Os especialistas acreditam que o mercado vai continuar instável este ano. Assim, quem tem investimento em Bolsa, por exemplo, deve deixar o dinheiro lá.

12- Avalie a utilidade das milhagens
Operadoras de cartões de crédito e companhias áreas costumam alardear as vantagens de seus programas de milhagens, mas muitas vezes o consumidor paga caro por isso –as anuidades de cartões que dão mais pontos são mais caras e algumas empresas cobram taxas pela participação nesses programas. As milhagens compensam para quem viaja muito e tem o hábito de acompanhar os extratos, já que têm prazo de validade.

13- Avalie a utilidade dos cartões de loja
Será que vale a pena ter a carteira recheada de cartões de fidelidade fornecidos por lojas, supermercados, pet shops? “Os cartões são feitos para forçar a pessoa a consumir mais nas lojas, porque muitas vezes o pagamento da fatura tem de ser feito lá”, diz Carlos Thadeu de Oliveira, do Idec. Fique apenas com aqueles que realmente dão algum tipo de desconto ou vantagem de parcelamento que seu cartão de crédito não oferece.

14- Renegocie o serviço de TV por assinatura
As empresas de TV por assinatura constantemente lançam pacotes mais baratos para atrair novos clientes. Isso pode acabar fazendo com que você, que é cliente mais antigo, acabe pagando mais do que o cliente novo pelo mesmo serviço. “Promoções desse tipo não são ilegais”, explica Carlos Thadeu de Oliveira, do Idec. “Mas são uma boa oportunidade para você tentar negociar com a empresa um desconto na sua mensalidade.”

15- Diminua suas contas de serviços essenciais
Nunca é tarde para começar a economizar na conta de luz (comprando lâmpadas mais econômicas, tirando os aparelhos elétricos do modo stand-by e trocando os eletrodomésticos por outros que consomem menos energia). Para economizar água, evite banhos demorados e conserte vazamentos –ambas são atitudes que geram economia para o bolso e benefício para o meio ambiente.

16- Corte gastos com telefone e internet
Avalie a possibilidade de contratar um combo (pacote que inclui serviço de telefonia, internet e TV por assinatura), que costuma ter bom custo-benefício. Além disso, se seu plano de acesso à internet tem uma velocidade altíssima, mas você passa o dia fora de casa, pode valer a pena mudar o contrato por um mais barato, sugere a supervisora institucional da Proteste (Associação Brasileira de Defesa do Consumidor), Polyanna Carlos Silva.

17- Analise as vantagens do seu plano de saúde
Se você está insatisfeito com o serviço prestado pela sua operadora de plano de saúde, você pode mudar de operadora lançando mão da portabilidade de carência (período em que o consumidor não tem acesso a determinados serviços). Para mudar de empresa sem precisar cumprir carência, no entanto, você tem de optar por um plano de mesma faixa de preço e mesma abrangência geográfica. Mas a regra vale só para planos individuais contratados após 1999.

18- Mude as datas de vencimento das suas contas
As empresas que prestam serviços de telefonia fixa e celular, água, gás e energia são obrigadas a fornecer ao consumidor, dentro do mês de vencimento, o mínimo de seis datas opcionais de vencimento da conta. Veja quais são as datas disponíveis e concentre o vencimento sempre perto da data de recebimento do salário. Isso ajuda a organizar o orçamento e evita o pagamento de juros e multas por causa de eventuais atrasos.

19- Reveja seus seguros
Reserve um tempo para analisar os contratos de seguro que você possui. Se seu filho tirou carteira de habilitação agora e vai passar a usar seu veículo de vez em quando, é preciso incluir essa possibilidade na sua apólice. Da mesma forma, se você reformou a casa ou adquiriu bens de grande valor nos últimos meses, é preciso rever o contrato (quando você viaja, por exemplo, é importante que os valores para cobertura de roubo e danos elétricos estejam atualizados).

20- Contrate um seguro de vida
Se o único seguro que você tem é o do seu automóvel, analise a possibilidade de contratar um seguro de vida. “É um produto que todos deveriam ter”, diz o presidente do Sincor-SP, Mário Sérgio de Almeida Santos. “Especialmente quem está iniciando uma vida familiar, casando ou tendo filhos”, diz. Esse tipo de seguro dá à família cobertura em caso de morte ou invalidez permanente, por exemplo.

21- Conheça o Você 2.0
O projeto Você 2.0 te ajuda a organizar suas finanças pessoais, diferente de tudo o que você já viu, focando em sua vida e não apenas em seu dinheiro. Conheça “Sua Melhor Versão” acessando o site: www.voce20.com

 

Fontes: Uol Economia / Voce20.com / Infomoney / Procom / Business Insider / Clientes LifeFP.

Sobre o Autor

André Novaes é empreendedor formado em administração de empresas. Acumula experiência no varejo e mercado financeiro, tendo atuado em empresas como 3M do Brasil, Credit Suisse Hedging Griffo, e Prudential do Brasil. Como empreendedor, a sua jornada começou em 1998, quando montou a sua 1ª empresa, um site de internet que posteriormente foi vendido em 2000. Especialista em planejamento de vida, proteção financeira e investimentos dinâmicos, atua como pesquisador e planejador, professor e palestrante, com a missão de conduzir as pessoas e famílias brasileiras à auto- gestão responsável de sua vida e finanças, reconduzindo a família ao centro do planejamento de vida. Em 2007, André Novaes fundou e atua como CEO da LifeFP™. Em 2016 escreveu o manifesto “Uma Nação em Sua Melhor Versão” e criou a LIFE Academy como a plataforma que planejará a vida milhões de brasileiros e transformará a relação das pessoas com o dinheiro.

POSTS RELACIONADOS



15
set

Plano e planejamento: entenda as principais diferenças

Você conhece as diferenças entre plano e planejamento? Ambas as palavras têm conceitos completamente distintos, bem diferente do que muitas pessoas pensam. O primeiro tem relação com aquelas coisas que...
Leia Mais
14
ago

Consumo consciente: saiba como colocá-lo em prática

A contemporaneidade é marcada por um excesso. A todo momento, você é incentivado a comprar produtos, nem sempre necessários, que lançam mão de falsas promessas do suprimento total de suas...
Leia Mais
07
ago

Descubra como definir seus objetivos financeiros

Não há limites para a capacidade humana de desejar, porém, os recursos disponíveis para concretizar todos esses desejos são escassos. Essa regra básica de economia é universal e se aplica a...
Leia Mais

Conheça os cursos online da Life Academy

Últimos Posts

Plano e planejamento: entenda as principais diferenças
15 de setembro de 2017
5 cuidados para ter ao contratar a previdência privada
11 de setembro de 2017
Consumo consciente: saiba como colocá-lo em prática
14 de agosto de 2017
Descubra como definir seus objetivos financeiros
7 de agosto de 2017
Procurando melhores investimentos? Conheça 5 para evitar
31 de julho de 2017
Ritual matinal para uma vida em sua melhor versão
25 de julho de 2017

CONTEÚDO VIP
Coloque o seu email abaixo para receber gratuitamente as atualizações do blog!