Aprenda a tomar decisões sobre o seu dinheiro.

Aprenda a tomar decisões sobre o seu dinheiro.

A maioria dos brasileiros tem ciência de que depender do INSS e da Previdência Social certamente será sinônimo de dificuldades e problemas financeiros na aposentadoria. Além do excesso de burocracia, há uma queda significativa entre o valor contribuído e o valor recebido.

Além disso, a possibilidade de uma reforma da Previdência e a perspectiva de se ter que trabalhar mais para conseguir o benefício do INSS estão deixando a população de cabelos em pé.

É importante ressaltar que a Previdência Social tem por prioridade proteger as camadas menos favorecidas da população trabalhadora. Isso significa que quanto mais alto for o seu poder aquisitivo, maior será a diferença entre a renda na ativa e o valor a ser recebido na aposentadoria.

Algumas pessoas buscam maneiras de viver de renda por meio de investimentos e outros tipos de aplicações, tendo uma aposentadoria mais tranquila e uma vida sossegada. Pense bem: se você juntar R$1 milhão e aplicá-lo em um rendimento a juros de 0,5% ao mês, você terá renda de R$5.000 todo mês, sem fazer nada.

Obviamente, existem diversas opções de investimento disponíveis no mercado, cada uma com seus riscos e rentabilidades características. Mas qual escolher? E, afinal, como não depender do INSS para se aposentar? Continue a leitura do post e descubra!

Previdência Privada

A tão conhecida previdência privada pode ser definida como uma aposentadoria que não depende do INSS. Todo o gerenciamento do investimento é realizado por empresas privadas. Este setor é fiscalizado pela Susep (Superintendência de Seguros Privados), que é vinculada ao Ministério da Fazenda, aumentando sua credibilidade e segurança.

Nos principais planos de previdência privada, é possível que o investidor defina o valor da contribuição, opte pela sua periodicidade e escolha se deseja receber o capital acumulado em um resgate único ou em resgates mensais, por exemplo. É interessante ressaltar que os valores recebidos serão sempre proporcionais aos valores investidos.

Atualmente, existem duas opções de previdência privada: o Plano Gerador de Benefícios Livre (PGBL) e o Vida Gerador de Benefícios Livre (VGBL).

Na previdência PGBL, a dedução do investimento é feita na base de cálculo do Imposto de Renda. Contudo, isso só é benéfico para quem faz a declaração completa do IR, com dedução de até 12% da renda bruta anual. Além disso, o IR será cobrado sobre o valor total (principal + rendimentos).

Já no VGBL, o IR é cobrado no resgate e somente sobre os rendimentos. Em contrapartida, o Imposto de Renda sobre os rendimentos pode ser muito alto se o resgate ocorrer antes de 10 anos, caso a opção tenha sido pelo regime regressivo de tributação.

É interessante destacar que ambas as modalidades de previdência privada contemplam altas taxas de administração e a presença de taxa de carregamento, o que pode prejudicar a rentabilidade líquida.

Tesouro Direto

O Tesouro Direto é uma das opções de investimento que se popularizou muito nos últimos anos. Hoje em dia, pode-se dizer que as suas alternativas são mais escolhidas do que a compra de Títulos Públicos Federais do Tesouro Nacional.

O Tesouro Direto apresenta três tipos de título: Tesouro Selic, Tesouro IPCA+ e Tesouro pré-fixado. Para definir qual opção melhor se adéqua ao seu perfil de investimento, é necessário analisar alguns indicadores, além de saber a forma de rentabilidade de cada um deles.

É válido informar que uma de suas vantagens é que seus vencimentos são inversamente proporcionais à taxa Selic. Ou seja, à medida que a taxa Selic cai, o preço das aplicações sobe.

Tesouro Selic

O Tesouro Selic é uma modalidade que possui sua rentabilidade indexada à taxa de juros básica da economia (taxa Selic), fazendo com que o dinheiro do investidor esteja protegido das variações das taxas de juros.

Uma vantagem do Tesouro Selic se dá por meio do resgate: fácil de ser realizado e sem risco de haver perdas do dinheiro caso seja realizado antes do vencimento. Por esta razão, o Tesouro Selic é mais indicado para perfis conservadores.

O pagamento desta modalidade não é realizado de forma semestral. Dessa maneira, ele se torna mais interessante para quem pode esperar pelo dinheiro até o final da aplicação. Pense nisso na hora de fazer seus investimentos.

Tesouro IPCA+

Outra maneira de não depender do INSS para se aposentar é investindo no Tesouro IPCA+. Esta modalidade proporciona uma rentabilidade real, ou seja, assegura o aumento do poder de compra do seu dinheiro.

Tal benefício só é possível devido ao fato de o rendimento ser composto de duas parcelas: uma taxa de juros prefixada e a variação da inflação (IPCA — Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo). Sendo assim, suas aplicações vão apresentar rentabilidade sempre acima da inflação, deixando o seu dinheiro protegido.

É interessante destacar que a taxa de juros prefixada é definida no momento da compra do título, permitindo que o investidor possa avaliar se esta é ou não a melhor opção. No entanto, a remuneração prefixada pode gerar perdas caso o investidor decida retirar o dinheiro antes do vencimento.

Tesouro Prefixado

No Tesouro Prefixado, a rentabilidade do título é definida antes de se realizar o investimento. Dessa maneira, o investidor saberá exatamente a rentabilidade do montante investido se mantiver o título até a data de vencimento.

Essa modalidade é indicada para investidores que acreditam que a taxa prefixada será maior do que a taxa básica de juros da economia (Selic). Caso eles estejam certos, sua rentabilidade será maior.

Porém, os rendimentos do Tesouro Prefixado são rendimentos nominais. Isso quer dizer que é necessário descontar a inflação para saber o rendimento real da aplicação.

Busque conhecimento e não dependa do INSS

Para que você tenha rendimentos e aplicações suficientes para não depender do INSS para se aposentar, será necessário muito estudo e conhecimento do mercado. Você pode até já ter certo entendimento sobre investimentos e suas características, mas existem outros fatores importantes que devem ser analisados.

Para obter a completa independência financeira, é necessário que você tenha atitudes que vão além do dinheiro. A palavra chave aqui é intencionalidade, ou seja, ação com propósito.

Conversar com sua família sobre o orçamento familiar e a organização do dinheiro é primordial para que você alcance seus objetivos.

Além disso, você quer que seus filhos tenham as mesmas preocupações e dificuldades que você? Claro que não, não é mesmo? Então é interessante que você comece a ensiná-los sobre educação financeira, abordando finanças pessoais e a utilização de um planejamento financeiro, por exemplo.

Indiscutivelmente, entrar no assunto de finanças e dinheiro em casa pode ser um tanto quanto delicado e complicado, mas existem cursos online que podem te ajudar nesse diálogo. Esse tipo de curso foi projetado para que você se preocupe com o seu plano de vida, que vai muito além do dinheiro.

Ademais, será possível que você encontre o protagonismo na construção da sua melhor versão, atingindo os objetivos propostos, possibilitando uma vida mais tranquila na aposentadoria e um diálogo mais aberto e transparente com seu cônjuge e seus filhos.

Não depender do INSS será altamente benéfico para a sua aposentadoria. Além de conseguir uma melhor qualidade de vida, você não precisará abrir mão de alguns luxos, como trocar o carro e realizar uma viagem por ano. Pense nisso!

A importância do planejamento

Em todas as áreas da vida, um planejamento bem elaborado será requisitado, e com a aposentadoria não poderia ser diferente. Essa ação deverá ser executada por você enquanto ainda estiver trabalhando. Ela servirá para indicar exatamente o que você precisará para ter uma vida tranquila e com dinheiro no bolso quando resolver encerrar suas atividades profissionais.

Para você conseguir entender a importância de executar esse procedimento, vamos explicar com um exemplo simples: suponhamos que o seu desejo seja possuir R$ 100.000,00 disponíveis na conta quando se aposentar.

Para isso, você deverá definir quando vai poupar por mês e durante quanto tempo. Não há forma mais eficaz de se fazer isso a não ser por meio do planejamento. Para ficar mais claro, daremos 5 dicas para que você possa executar esse procedimento. Confira!

1. Formule uma estratégia de acúmulo de patrimônio

Antes de iniciar o planejamento, é fundamental criar estratégias para o acúmulo de patrimônio. Nessa etapa, você identificará possíveis fontes de renda alternativas para ajudar nesse processo, bem como estabelecerá metas de gastos diários, semanais ou mensais. Dessa forma, você terá um lastro financeiro maior para realizar os investimentos na sua aposentadoria.

2. Defina o padrão de vida ideal para a aposentadoria

Ter uma aposentadoria tranquila não significa ser um milionário. É preciso que você tenha em mente como pretende viver quando ela chegar e realize um procedimento regressivo de poupanças e economias para conseguir alcançá-la.

Definir esse critério é importante para que você comece a agir de forma exata para alcançar determinado objetivo financeiro. Fazendo isso, você não só evita trabalhar demais para juntar uma quantia exagerada, mas também não cai na armadilha de desprender muito pouco esforço e garantir uma quantia mais baixa do que gostaria.

3. Aplique em investimentos de médio e longo prazos

Estude e comece a aplicar em investimentos que remunerem no médio ou longo prazo, dependendo da sua estratégia e planejamento. Algumas opções são as Letras de Crédito Imobiliário (LCI) ou Letras de Crédito do Agronegócio (LCA). Também é importante avaliar a rentabilidade desse tipo de investimento. O ideal é que sejam sempre superior a 100% do CDI (Certificado de Depósito Interbancário).

4. Comece o quanto antes

Engana-se quem pensa que o momento de começar a pensar na aposentadoria é quando ela está próxima. Uma pessoa verdadeiramente preocupada com o seu futuro planeja sua aposentadoria o quanto antes. Dessa forma, é possível diminuir os impactos que a economia e a poupança para a realização do investimento terão em sua vida financeira enquanto você ainda trabalha.

5. Revise a estratégia periodicamente

Simplesmente fixar um planejamento e executá-lo até o momento da tão sonhada aposentadoria não é uma atitude correta a ser tomada. Vivemos em um país onde as questões financeiras oscilam com muita frequência. O seu planejamento deverá acompanhar as mudanças que a economia nacional sofre. Pensando nisso, é obrigatório rever as suas estratégias periodicamente e, se necessário, adequá-las.

A importância da empresa especializada em finanças

Quando realizar um planejamento financeiro de médio ou longo prazo visando a aposentadoria for muito complexo, você poderá contar com o apoio de uma assessoria especializada nesse tipo de operação.

Dessa forma, você poderá focar a sua atenção em simplesmente gerenciar ou encontrar fontes de renda, reduzir despesas e realizar efetivamente as aplicações, deixando que a parte de planejamento, definição de metas, objetivos e estratégias fique na mão de profissionais especializados nesse tipo de tarefa. Com isso, você poderá ter tranquilidade para trabalhar focado, sabendo que sua aposentadoria estará muito bem planejada.

E então, gostou do nosso post sobre como não depender do INSS para se aposentar? Que tal continuar aprendendo sobre o assunto? Leia o nosso artigo sobre os 5 cuidados para ter ao contratar um plano de previdência privada.

Sobre o Autor

André Novaes é empreendedor formado em administração de empresas. Acumula experiência no varejo e mercado financeiro, tendo atuado em empresas como 3M do Brasil, Credit Suisse Hedging Griffo, e Prudential do Brasil. Como empreendedor, a sua jornada começou em 1998, quando montou a sua 1ª empresa, um site de internet que posteriormente foi vendido em 2000. Especialista em planejamento de vida, proteção financeira e investimentos dinâmicos, atua como pesquisador e planejador, professor e palestrante, com a missão de conduzir as pessoas e famílias brasileiras à auto- gestão responsável de sua vida e finanças, reconduzindo a família ao centro do planejamento de vida. Em 2007, André Novaes fundou e atua como CEO da LifeFP™. Em 2016 escreveu o manifesto “Uma Nação em Sua Melhor Versão” e criou a LIFE Academy como a plataforma que planejará a vida milhões de brasileiros e transformará a relação das pessoas com o dinheiro.

POSTS RELACIONADOS



31
maio

Entenda a relação entre autoestima e dinheiro

Chega um determinado momento da vida em que se coloca em pauta as conquistas e se pergunta qual o futuro que se quer para a família. Essas indagações sobre o...
Leia Mais
07
ago

Descubra como definir seus objetivos financeiros

Não há limites para a capacidade humana de desejar, porém, os recursos disponíveis para concretizar todos esses desejos são escassos. Essa regra básica de economia é universal e se aplica a...
Leia Mais
24
mar

Educação financeira para crianças: veja como ensinar os seus filhos

Conscientizar os filhos sobre dinheiro, economia e poupança é uma parte importante de toda criação. E a educação financeira para crianças, ao contrário do que se imagina, pode começar bem...
Leia Mais

Conheça os cursos online da Life Academy

Últimos Posts

Afinal, o que é resiliência financeira?
17 de novembro de 2017
Planejamento financeiro: saiba como criar uma rotina de organização
13 de novembro de 2017
Perfil de investidor: aprenda como identificar o seu contexto
6 de novembro de 2017
Decisões financeiras: saiba como crescer de forma consciente!
16 de outubro de 2017
Saiba como as decisões financeiras impactam na formação dos filhos
11 de outubro de 2017
Planejamento financeiro pessoal: como se preparar e conseguir realizar sonhos?
6 de outubro de 2017

CONTEÚDO VIP
Coloque o seu email abaixo para receber gratuitamente as atualizações do blog!