Aprenda a tomar decisões sobre o seu dinheiro.

Aprenda a tomar decisões sobre o seu dinheiro.

Descubra como definir seus objetivos financeiros

Não há limites para a capacidade humana de desejar, porém, os recursos disponíveis para concretizar todos esses desejos são escassos. Essa regra básica de economia é universal e se aplica a todos, independentemente de salário ou profissão.

Portanto, é importante ter objetivos financeiros bem definidos para concentrar seus esforços e suas economias naquilo que traga mais satisfação para sua vida. Por isso, no post de hoje ajudaremos você a descobrir maneiras de definir seus objetivos financeiros e estar mais próximo dos seus sonhos. Confira!

Defina suas prioridades

Seus objetivos financeiros estão intimamente ligados ao seu projeto de vida. Nesse ponto, é importante que você faça uma profunda reflexão sobre o estágio atual da sua vida e sobre os projetos que você tem para o futuro.

Imagine-se anos à frente, tendo conquistado tudo aquilo que lhe traz satisfação. Nesse exercício de imaginação, quais bens materiais ou quais habilidades ou atividades você desenvolveu que dependeriam do dispêndio de recursos financeiros? Faça uma lista com esses itens. Eles serão os objetivos que nortearão seu planejamento financeiro.

Como exemplo de bens, poderíamos citar a compra de um imóvel, de um veículo, um barco, entre outros. O desenvolvimento de uma habilidade ou atividade poderia estar relacionado ao aprendizado de um idioma, de um ofício, a realização de um curso de pós-graduação ou doutorado, a abertura do próprio negócio, etc.

Estabeleça prazos

Depois de definidos seus objetivos financeiros, você deverá estabelecer em quanto tempo pretende alcançá-los e o valor necessário para adquiri-los. Alguns objetivos podem demandar mais tempo, enquanto outros podem ser mais facilmente realizáveis. 

A compra de um automóvel, por exemplo, pode ocorrer em menos tempo do que a aquisição de uma residência. A realização de uma viagem ao exterior poderia ser um objetivo financeiro alcançável em menos tempo do que a aquisição do automóvel e da residência.

Por isso, o ideal é que você organize seus objetivos como metas de curto, médio e longo prazos. No nosso exemplo, a viagem seria um objetivo de curto prazo, alcançável entre um ou dois anos. O automóvel seria um objetivo de médio prazo, alcançável entre três e cinco anos. E a casa própria um objetivo de longo prazo, alcançável em mais de cinco anos.

Perceba que esses prazos não são fixos e servem apenas de exemplo. A definição do prazo dependerá do tamanho do seu sonho e da sua capacidade de poupança. Quanto menor for o valor do objetivo financeiro e maior a sua possibilidade de economizar, menor será o tempo que você levará para atingir esse objetivo.

Tenha metas de poupança para seus objetivos financeiros

Seus objetivos somente serão realizáveis se você tiver metas de poupança condizentes com eles. Segundo o célebre clássico sobre finanças O homem mais rico da Babilônia, de George S. Clason, o ideal é que você consiga poupar e investir ao menos 10% de seus rendimentos todos os meses. Se você puder poupar além disso, perfeito! Mas, estabeleça metas que sejam alcançáveis, para não criar frustrações.

Para conseguir poupar, é importante que você anote todos os seus gastos relacionados a determinado período, a fim de identificar quais deles são dispensáveis. Anotar cada compra pode ser uma atividade tediosa no início, mas serve para mostrar como os pequenos gastos diários podem resultar grandes somas no final do mês.

Corte aqueles gastos desnecessários, mas não caia no erro de se privar das horas de lazer. A dica aqui é ser moderado nos seus gastos financeiros. Às vezes, temos hábitos de consumo que não nos agregam valor e dificultam a atividade de poupar. Esses hábitos de consumo podem ser trocados por outros mais baratos.

Se você, por exemplo, paga a mensalidade de uma academia, mas raramente vai malhar, seria melhor cancelar sua assinatura e passar a fazer caminhadas pela manhã. No mesmo sentido, se você assina o melhor pacote de Tv a cabo, mas assiste a poucos canais, seria interessante contratar um pacote mais básico e mais barato.

Lembre-se que para poupar será necessário fazer alguns sacrifícios.

Invista o dinheiro poupado

Não basta apenas poupar, é preciso investir. Enquanto o poupador apenas acumula capital, o investidor, literalmente, ganha dinheiro, isso graças à dinâmica dos juros compostos. Por isso, além de poupar, é importante investir seu dinheiro com inteligência. 

Apenas para demonstrar o poder dos juros compostos, fizemos uma simulação do investimento mensal de R$ 1.000, por 15 anos, a uma taxa de juros de 0,8% mensais. Se você tivesse investido desta forma, hoje você teria o montante de R$ 399.572,83, dos quais R$ 219.572,83 seriam apenas de juros compostos.

Isso significa que se você tivesse apenas poupado R$ 1.000 por mês, durante 15 anos, você teria R$ 180.000. Se você tivesse investido R$ 1.000 por mês, durante os mesmos 15 anos, você teria R$ 219.572,83 a mais. Eis o poder dos juros compostos.

No entanto, tenha em mente que seus investimentos devem ser adequados aos seus objetivos financeiros traçados.

Para objetivos de curto prazo, investimentos mais conservadores e com alta liquidez como os fundos DI ou Tesouro Selic são os mais adequados. Objetivos de médio prazo demandam investimentos de médio prazo, como CDBs, debêntures, LCI e LCA. Para objetivos de longo prazo, opte por investimentos de longo prazo como Tesouro IPCA+.

Neste caso, não procrastine

Toda reserva financeira começa com o primeiro valor poupado, assim como toda caminhada começa com o primeiro passo. A frase pode parecer clichê, mas guarda uma verdade inegável: quanto mais você adiar seu planejamento, mais longe você estará de seus objetivos financeiros.

É comum vermos pessoas que adiam por anos o início da formação de seu patrimônio e isso ocorre porque sair da inércia realmente não é fácil. São muitas as desculpas para não poupar, mas duas delas costumam ser as mais recorrentes: 

  1. não sobra dinheiro no fim do mês;
  2. o valor disponível para ser poupado é pequeno demais.

Para a primeira, a elaboração de um orçamento doméstico, com a anotação de todos os gastos conforme dissemos acima, pode ser a solução. Para a segunda, é preciso ter em mente que pequenos valores poupados e investidos com disciplina se tornarão pequenas fortunas com o passar do tempo.

Escrevi “neste caso, não procrastine”, pois a procrastinação pode, por mais incrível que pareça, ajudar a conquistar seus objetivos financeiros. Escrevi isso neste texto, um dos mais polêmicos deste blog.

Faça uma reserva financeira para imprevistos

Um bom planejamento financeiro deve começar pela formação de uma reserva de emergência para imprevistos. Ela deve conter dinheiro suficiente para custear entre 6 e 12 meses de seus gastos mensais.

Essa reserva de emergência serve para evitar que situações como o desemprego possam afetar os seus outros objetivos financeiros. Se você não tiver nenhum dinheiro de reserva e algum imprevisto ocorrer, as chances de você utilizar as reservas poupadas para outros objetivos é muito grande.

Esperamos que com este artigo você tenha conseguido definir seus objetivos financeiros e planejar-se para alcançá-los. Se você gostou do texto e pretende iniciar seu planejamento, não deixe de conferir nosso outro post sobre como fazer uma reserva de dinheiro!

Sobre o Autor

André Novaes é empreendedor formado em administração de empresas. Acumula experiência no varejo e mercado financeiro, tendo atuado em empresas como 3M do Brasil, Credit Suisse Hedging Griffo, e Prudential do Brasil. Como empreendedor, a sua jornada começou em 1998, quando montou a sua 1ª empresa, um site de internet que posteriormente foi vendido em 2000. Especialista em planejamento de vida, proteção financeira e investimentos dinâmicos, atua como pesquisador e planejador, professor e palestrante, com a missão de conduzir as pessoas e famílias brasileiras à auto- gestão responsável de sua vida e finanças, reconduzindo a família ao centro do planejamento de vida. Em 2007, André Novaes fundou e atua como CEO da LifeFP™. Em 2016 escreveu o manifesto “Uma Nação em Sua Melhor Versão” e criou a LIFE Academy como a plataforma que planejará a vida milhões de brasileiros e transformará a relação das pessoas com o dinheiro.

POSTS RELACIONADOS



31
jul

Procurando melhores investimentos? Conheça 5 para evitar

Além de conhecer o mercado, melhores investimentos e técnicas de aplicação do dinheiro, um investidor precisa estar atento àquelas aplicações que não são boas opções para investir. Existem investimentos que...
Leia Mais
07
abr

Como não depender do INSS para se aposentar?

A maioria dos brasileiros tem ciência de que depender do INSS e da Previdência Social certamente será sinônimo de dificuldades e problemas financeiros na aposentadoria. Além do excesso de burocracia,...
Leia Mais
20
mar

21 dicas para colocar sua vida financeira em ordem

  O inícío do ano começa com muitas contas e impostos a pagar (IPTU/IPVA) e após o primeiro trimestre, abril é um bom mês para o consumidor atualizar sua vida financeira....
Leia Mais

Conheça os cursos online da Life Academy

Últimos Posts

Afinal, o que é resiliência financeira?
17 de novembro de 2017
Planejamento financeiro: saiba como criar uma rotina de organização
13 de novembro de 2017
Perfil de investidor: aprenda como identificar o seu contexto
6 de novembro de 2017
Decisões financeiras: saiba como crescer de forma consciente!
16 de outubro de 2017
Saiba como as decisões financeiras impactam na formação dos filhos
11 de outubro de 2017
Planejamento financeiro pessoal: como se preparar e conseguir realizar sonhos?
6 de outubro de 2017

CONTEÚDO VIP
Coloque o seu email abaixo para receber gratuitamente as atualizações do blog!