Aprenda a tomar decisões sobre o seu dinheiro.

Aprenda a tomar decisões sobre o seu dinheiro.

Você está preocupado com o seu futuro. Deseja fazer um planejamento financeiro que leve em conta o seu contexto de vida atual e que, além disso, possa melhorar a sua qualidade de vida e de sua família.

Bom, para criar o ambiente certo, a melhor versão do seu projeto de vida, você precisará avaliar o quanto está disposto a investir nesse projeto. Logo, será necessário saber qual é o seu perfil de investidor, dentro do seu contexto atual.

O autoconhecimento deve ser a base deste projeto. Afinal, é por meio dele que você descobrirá qual é o seu perfil de investidor.

Em outras palavras, reconhecer suas expectativas e angústias é o que vai ajudá-lo a entender como deverá ser seu planejamento financeiro, sua carteira de investimentos, e até como você poderá abordar o assunto com a sua família, para que todos sejam protagonistas desse seu projeto de vida.

E é justamente disso que trataremos neste post. Continue lendo e aprenda a identificar o seu contexto e, consequentemente, o seu perfil de investidor.

Antes de tudo, deve-se analisar o contexto

Em primeiro lugar, para identificar o seu perfil de investidor você precisa conhecer, claramente, o seu contexto. Contexto este que contempla dois aspectos essenciais: os seus objetivos e o prazo de que você dispõe para alcançá-los.

Portanto, você deverá identificar quais são as suas prioridades dentro desse planejamento, e em quanto tempo espera alcançar seus objetivos.

Se você deseja fazer uma viagem, trocar de carro e guardar dinheiro para a universidade do seu filho, por exemplo, cada um desses planos terá um prazo diferente, que deve ser levado em consideração na hora de investir.

Sua gestão financeira pessoal determinará os rumos do projeto

Você precisa ter em mente que o dinheiro é uma parte importante da realização dos seus propósitos de vida. Será necessário administrá-lo como um meio para atingir os objetivos e, para isso, é preciso ter o máximo de conhecimento, tanto do seu contexto quanto do mercado em que você pretende investir.

Grosso modo, existem duas fases na vida financeira de uma pessoa:

  • quando seus rendimentos estão contribuindo para aumentar seu patrimônio: você tem maior liquidez e consegue alcançar metas de prazos menores;

  • quando o seu patrimônio é o que movimenta o seu fluxo de caixa: você tem mais despesas relacionadas ao bens que adquiriu, e precisa considerar os planos mais a longo prazo, já que a sua renda livre acaba diminuindo.

Falando sobre os objetivos, é indispensável que eles sejam bem definidos, incluindo prazos e custos envolvidos. Além disso, eles deverão ser discutidos com todos os membros da família, uma vez que o esforço feito para alcançá-los será partilhado por todos.

E lembre-se de que, provavelmente, a quantidade de desejos que você tem, em geral, é maior do que sua capacidade de pagamento — ou seja, será preciso priorizar.

Como identificar o seu perfil de investidor

O perfil de investidor é uma classificação que considera o conjunto de características pessoais e financeiras que você tem, levando-se em conta a sua capacidade de assumir os riscos envolvidos nas operações, o período de investimento e o valor investido.

Trazendo, então, essas definições para o seu contexto de vida, a determinação do seu perfil terá como base a soma de suas características pessoais, sua situação financeira, seus objetivos e sua capacidade de lidar com incertezas.

Para tornar mais fácil essa determinação de perfil, a seguir veremos todos os perfis de investidor classificados em relação ao risco das operações, ao prazo de aplicação e ao valor investido.

Perfil de risco das operações

Essa classificação tem como finalidade determinar os tipos de investidor segundo o risco a que se está disposto a correr. Você já deve saber que quanto maior é a promessa de retorno de um investimento, maior é o risco financeiro envolvido, certo? Vejamos:

1. Investidor conservador

É aquele que tem aversão ao risco financeiro. Em geral, são pessoas habituadas a economizar, que investem para a manutenção do seu patrimônio.

Seus investimentos estão relacionados à maior segurança, estabilidade e capacidade de geração de lucros. Portanto, são mais propensos a aplicar em renda fixa, cadernetas de poupança e títulos de capitalização.

2. Investidor moderado

Esse é o investidor que aceita assumir certo risco, desde que sem exageros. Costuma aplicar seus recursos em renda fixa e variável, em uma proporção de 50% para cada tipo de investimento.

Sua intenção principal é conseguir a maior rentabilidade possível de sua carteira. Assim, o foco desse perfil são CDBs, Tesouro Direto, Previdência Privada e ações de empresas de primeira linha.

A grande vantagem desse investidor sobre os demais é a diversificação da sua carteira. Como tem alguma indiferença em relação à insegurança, ele tende a fazer boas escolhas em relação aos investimentos, obtendo resultados melhores.

3. Investidor agressivo ou arrojado

Costuma investir em ações, moedas estrangeiras, fundos imobiliários, entre outras aplicações de renda variável, já que é disposto a aceitar maiores riscos para aumentar seu patrimônio. Ele alcança rentabilidade acima da média, e é considerado como profissional.

Agora, vale ressaltar que existe uma variação entre as duas últimas categorias. Trata-se do investidor moderado-agressivo, que aceita assumir certo grau de risco maior se o retorno for atraente.

Em geral, ele aplica em produtos com média oscilação, e tem como propósito principal o aumento do seu patrimônio no longo prazo.

Perfil de prazo de aplicação

Da mesma forma que o risco, quanto maior for o prazo de aplicação, maior será a sua rentabilidade. Por causa disso, também se deve considerar o perfil do investidor quanto ao prazo esperado para investimento, bem como a liquidez do patrimônio.

Acompanhe, então, cada classificação de acordo com o tempo das aplicações:

1. Investidor de curto prazo

Preza pela liquidez de seus recursos. Poderá precisar resgatar suas aplicações em pouco tempo.

2. Investidor de médio prazo

Não precisa de tanta liquidez. Poderá investir parte dos seus recursos no médio e longo prazos.

3. Investidor de longo prazo

Não precisa de liquidez imediata, por isso, a maior parte de suas aplicações será de longo prazo. Mesmo assim, poderá ter pequena parte dos recursos investidos em aplicações de maior liquidez.

Perfil de valor investido

Por fim, os investidores são classificados ainda de acordo com a quantidade de recursos que dispõem para investir. Nesse sentido, são divididos em:

1. Pequenos investidores

Também conhecidos como investidores de varejo, são aquelas pessoas que possuem poucos recursos para investir.

2. Médios investidores

Já são classificados como profissionais, pois detém mais conhecimento de mercado e, geralmente, trabalham com gestão de carteiras.

3. Grandes investidores

São chamados de investidores qualificados — podem ser clubes de investimento, investidores certificados ou aqueles que possuem mais de R$ 1 milhão investidos.

Diante disso, sabendo que cada produto tem características específicas em relação ao valor investido, como custos de transação, valores unitários das operações e riscos inerentes ao produto, cada investidor poderá escolher quais produtos serão mais adequados ao seu perfil de valor.

Enfim, depois de saber mais sobre os perfis de investidor, podemos perceber que ingressar nesse mercado é uma alternativa interessante para atingir seus propósitos. Inclusive, investir poderá se tornar uma ferramenta crucial para que você tome as rédeas de sua vida.

Dependendo do seu contexto, de fato, talvez você precise de mais dedicação para chegar ao real protagonismo da sua vida. Ainda assim, se você souber definir claramente os seus objetivos, certamente conseguirá alcançá-los.

Isso se refletirá não apenas na sua organização financeira, mas também em sua vida pessoal, sua relação com a família e consigo mesmo. Então, faça boas escolhas para viver a melhor versão da sua vida! E, se você gostou deste texto, aproveite para compartilhá-lo nas suas redes sociais!

Sobre o Autor

André Novaes é empreendedor formado em administração de empresas. Acumula experiência no varejo e mercado financeiro, tendo atuado em empresas como 3M do Brasil, Credit Suisse Hedging Griffo, e Prudential do Brasil. Como empreendedor, a sua jornada começou em 1998, quando montou a sua 1ª empresa, um site de internet que posteriormente foi vendido em 2000. Especialista em planejamento de vida, proteção financeira e investimentos dinâmicos, atua como pesquisador e planejador, professor e palestrante, com a missão de conduzir as pessoas e famílias brasileiras à auto- gestão responsável de sua vida e finanças, reconduzindo a família ao centro do planejamento de vida. Em 2007, André Novaes fundou e atua como CEO da LifeFP™. Em 2016 escreveu o manifesto “Uma Nação em Sua Melhor Versão” e criou a LIFE Academy como a plataforma que planejará a vida milhões de brasileiros e transformará a relação das pessoas com o dinheiro.

Leave a Reply

Conheça os cursos online da Life Academy

Últimos Posts

Prezado RH, palestras e workshops de educação financeira não funcionam.
6 de agosto de 2019
2019 e além
6 erros para evitar com o seu dinheiro em 2019
31 de dezembro de 2018
Construindo um plano de crescimento
11 de novembro de 2018
O seu projeto de vida em 2018 é muito maior do que as eleições
29 de agosto de 2018
A vida é um jogo?
22 de agosto de 2018
Plano ou planejamento financeiro? E a relação com o seu guarda-roupas
11 de junho de 2018

CONTEÚDO VIP
Coloque o seu email abaixo para receber gratuitamente as atualizações do blog!