Aprenda a tomar decisões sobre o seu dinheiro.

Aprenda a tomar decisões sobre o seu dinheiro.

Quem não sonha em viver a etapa final da vida tranquilo e sem preocupações? Para se tornar um aposentado independente financeiramente, porém, é preciso planejar o futuro desde cedo.

O problema é que o brasileiro não recebe instrução escolar sobre esse assunto. Geralmente, as pessoas costumam pensar na aposentadoria por volta dos 50 ou 60 anos — o que pode ocasionar em danos financeiros irreversíveis.

Esse fato é explicitado em uma pesquisa do Banco Mundial, divulgada este ano. O estudo mostrou que apenas 4% dos brasileiros poupam dinheiro para complementar os ganhos do INSS, um dos piores índices do mundo.

Isso quer dizer que apenas 4 em cada 100 brasileiros se preocupam em ter uma reserva para o futuro. Esse dado é preocupante, visto que o teto de aposentadoria do INSS caiu em torno de 70% em 40 anos, hoje, ele é R$ 4.157,05 — número que pode diminuir ainda mais, devido a crise previdenciária brasileira.

Se você quer entender mais sobre o assunto, continue lendo este post e saiba o que você pode fazer para ter um futuro tranquilo e com qualidade de vida.

Entenda porque é importante pensar na aposentadoria desde cedo

O teto do benefício do INSS é R$ 4.663. No entanto, poucos trabalhadores conseguem chegar a essa faixa de ganho. Mas como ocorre o cálculo da previdência?

Bom, funciona basicamente assim: o INSS pega os seus últimos salários em um período de 20 anos, separa os 200 mais altos, e faz a média. O detalhe é que, mesmo que você ganhe R$10 mil, R$20 mil ou R$50 mil por mês, por exemplo, você sempre vai contribuir em cima do valor do teto.

Por isso, o ideal é que o contribuinte pense em formas de complementar o valor oferecido pelo INSS cerca de 20 anos antes de se aposentar. Desse modo, ele garantirá uma velhice com mais qualidade de vida e tranquilidade.

Veja como funciona a previdência privada

A previdência privada é um sistema de acúmulo de recursos que não está ligada ao INSS, sendo considerada uma forma complementar de aposentadoria. É importante destacar que todo o setor de aposentadoria privada é fiscalizado pela Superintendência de Seguros Privados (Susep), pertencente ao governo federal.

Antes de escolher a quantia a ser investida, é importante levar em consideração alguns fatores. O ideal é que a renda futura seja por volta de 70% do valor ganhado atualmente, considerando que bens estarão quitados e filhos crescidos, por exemplo.

O fato é que não existe uma fórmula: é preciso levar em consideração o perfil da família e os objetivos de vida do contribuinte a fim de escolher os melhores investimentos.

Além disso, a disciplina é outro fator importante. O poupante deve ter em mente que ele deverá realizar contribuições mensais, sem falhas. Nesse sentido, é importante que todos os membros familiares entendam a importância desse investimento.

Conheça os planos existentes

Em 2016, o número de pessoas que aderiram à aposentadoria privada subiu 19,9%. O aumento pode ser explicado devido a crise financeira do INSS, que tem preocupado muitos trabalhadores.

Antes de contratar um plano, você deve conhecer exatamente todas as opções de investimento disponíveis no mercado, assim como suas vantagens e desvantagens. Somente com uma boa pesquisa será possível fazer a escolha certa.

Atualmente, o mercado oferece dois tipos de previdência privada: o Plano Gerador de Benefício Livre (PGBL) e o Vida Gerador de Benefício Livre (VGBL). A escolha vai depender da forma como você faz a declaração do Imposto de Renda.

De maneira geral, quem faz a declaração do IR pelo modelo completo é beneficiado pelo PGBL, que permite que 12% das contribuições anuais sejam abatidas no imposto. Já os contribuintes que declaram o IR de maneira simplificada, o plano indicado é o VGBL.

A seguir, conheça os detalhes sobre cada um deles.

Plano Gerador de Benefício Livre (PGBL)

O PGBL é indicado para pessoas que fazem a declaração completa do IR e contribuem para a Previdência Social. Aqui, os valores depositados podem ser descontados no imposto, desde que não ultrapassem os 12% da renda bruta anual.

No entanto, quando sacar o dinheiro, o imposto será referente ao total que havia no fundo. Antes de contratar o serviço, é essencial ficar atento se as taxas cobradas (de carregamento e administração) não consomem boa parte do valor investido. Tenha cautela e analise se a aplicação será verdadeiramente vantajosa.

Vida Gerador de Benefício Livre (VGBL)

A diferença do VGBL em relação ao anterior é que este não pode ser abatido no Imposto de Renda. Porém, quando o dinheiro é sacado, o imposto cobrado é referente ao rendimento que o trabalhador obteve.

Por exemplo, se o total do fundo de previdência tiver um valor de R$500 mil, mas o rendimento for apenas de R$200, o imposto cobrado será em cima dessa última quantia. O plano é indicado para pessoas que fazem a declaração simplificada do IR ou que são isentas a ele. Assim como no PGBL, o contratante deve ficar atento às taxas.

Saiba quais são as vantagens e desvantagens da aposentadoria privada

Os fundos de previdência privada possuem características próprias em relação aos investimentos comuns. Antes de contratar o seu, é preciso ficar extremamente atento a alguns detalhes, como taxas e simulações.

Vantagens

Obviamente, investir em um investimento privado lhe trará vantagens. Uma deles é a possibilidade de escolher o valor da contribuição e a periodicidade em que ela será feita. Além disso, é possível optar se a renda recebida será por determinado período ou vitalícia. Os contratantes também poderão determinar que os filhos ou esposo (a) continuem recebendo a renda depois de um possível falecimento.

Desvantagens

A grande desvantagem dos planos de previdência privada são as taxas — de administração e carregamento. A maioria dos planos de aporte inicial baixo cobra um valor muito alto por elas. O ideal, portanto, é juntar o seu dinheiro para investir em fundos de aporte inicial maior. Mas, mesmo assim, o contribuinte deve ficar atento.

Outro cuidado que os contratantes devem ter é em relação às simulações. Para ganhar o cliente, alguns gerentes ou agentes de investimentos podem realizar simulações não reais. É essencial que a rentabilidade média usada para simular quanto você vai ganhar leve em conta a inflação do período e incorpore o patamar de juros mais baixo.

Desconfie de rentabilidades médias de 8% ao ano, por exemplo. O mais indicado é realizar a simulação utilizando a rentabilidade real, acima da inflação, que pode ser algo como 2% ou 3% ao ano.

Antes de fechar qualquer negócio, é muito importante consultar um planejador financeiro. Ele é quem vai analisar o seu perfil e te indicar os melhores investimentos.

Se o nosso artigo sobre previdência privada foi útil para você, assine a nossa newsletter e receba outras dicas que vão ajudá-lo a organizar a sua vida financeira!

Sobre o Autor

André Novaes é empreendedor formado em administração de empresas. Acumula experiência no varejo e mercado financeiro, tendo atuado em empresas como 3M do Brasil, Credit Suisse Hedging Griffo, e Prudential do Brasil. Como empreendedor, a sua jornada começou em 1998, quando montou a sua 1ª empresa, um site de internet que posteriormente foi vendido em 2000. Especialista em planejamento de vida, proteção financeira e investimentos dinâmicos, atua como pesquisador e planejador, professor e palestrante, com a missão de conduzir as pessoas e famílias brasileiras à auto- gestão responsável de sua vida e finanças, reconduzindo a família ao centro do planejamento de vida. Em 2007, André Novaes fundou e atua como CEO da LifeFP™. Em 2016 escreveu o manifesto “Uma Nação em Sua Melhor Versão” e criou a LIFE Academy como a plataforma que planejará a vida milhões de brasileiros e transformará a relação das pessoas com o dinheiro.

POSTS RELACIONADOS



20
mar

21 dicas para colocar sua vida financeira em ordem

  O inícío do ano começa com muitas contas e impostos a pagar (IPTU/IPVA) e após o primeiro trimestre, abril é um bom mês para o consumidor atualizar sua vida financeira....
Leia Mais
08
nov

UMA NAÇÃO EM SUA MELHOR VERSÃO, EU ACREDITO!

Eu acredito Eu acredito em um país melhor, em um país com pessoas em uma versão melhor do que podem ser. Em minha experiência como planejador pessoal eu descobri que...
Leia Mais
23
fev

Planejamento Financeiro Pessoal “tipo exportação”

Neste post eu compartilho uma entrevista que dei para a XYPN Radio, um dos podcasts mais famosos no circuito dos planejadores financeiros pessoais “fee only” nos EUA. Muito bacana poder...
Leia Mais

Conheça os cursos online da Life Academy

Últimos Posts

Plano ou planejamento financeiro? E a relação com o seu guarda-roupas
11 de junho de 2018
Ansiedades que um Planejador Financeiro ajuda a resolver
25 de janeiro de 2018
Estabilidade e Segurança é com o Planejador Financeiro
22 de janeiro de 2018
planejamento financeiro pessoal
Cuidado para o seu investimento não perder a graça
18 de janeiro de 2018
Planejamento Financeiro Pessoal
Responsabilidade na vida faz bem para você
15 de janeiro de 2018
Afinal, por que desenvolver a inteligência financeira?
8 de janeiro de 2018

CONTEÚDO VIP
Coloque o seu email abaixo para receber gratuitamente as atualizações do blog!